×

Mastite Canina: Saiba Tudo Sobre a Doença

cachorro com Mastite

Mastite Canina: Saiba Tudo Sobre a Doença

Mastite Canina: Saiba Tudo Sobre a Doença.

A mastite canina é uma infecção mamária comum e dolorosa em cadelas. Essa doença pode ser desencadeada por várias razões, todas elas carregando consigo o risco de um possível comprometimento da qualidade do leite e até mesmo a perda de uma ou mais glândulas mamárias.

Embora muito desagradável, a boa notícia é que a mastite canina pode ser tratada com cuidados domésticos e, em alguns casos, com o uso de antibióticos e cirurgia.

Conheça nesta leitura sobre as causas, sintomas, tratamentos, prevenções e tipos mais comuns de mastite canina.

cachorro com Labirintite
cachorro com Labirintite

O que é Mastite Canina?

Mastite canina é uma infecção que afeta as glândulas mamárias das fêmeas caninas. Embora seja mais comum em cadelas que estão amamentando, a mastite também pode afetar cadelas que não estão grávidas ou não estão amamentando. Essa infecção mamária pode ser dolorosa e debilitante, por isso é importante estar ciente dos sinais e sintomas da doença.

Neste artigo, vamos explorar o que é mastite canina, suas causas, sintomas, prevenção e opções de tratamento.

Mastite canina é uma inflamação das glândulas mamárias que podem ser causadas por várias razões. Uma das principais causas da mastite canina é a infecção bacteriana. Isso pode acontecer quando as bactérias encontram uma abertura na pele da mama ou na glândula e penetram no tecido mamário.

A mastite também pode ser causada por um bloqueio nos ductos mamários das cadelas, que podem eventualmente levar a uma infecção. A mastite canina pode ser aguda ou crônica. A mastite aguda é geralmente um evento único que ocorre rapidamente, enquanto a mastite crônica pode se desenvolver durante um longo período de tempo.

cachorro com Esporotricose
cachorro com Esporotricose

Os sintomas da mastite canina podem variar, dependendo do tipo de mastite que a cadela está sofrendo.

Causas da Mastite Canina

A infecção bacteriana é uma das principais causas da mastite canina. As bactérias podem entrar no tecido mamário através de uma abertura na pele ou na glândula. Lesões na mama, como mamilos rachados ou ferimentos, também podem criar um ambiente ideal para as bactérias se desenvolverem.

Outra causa comum de mastite canina é a obstrução dos ductos mamários. Quando um ou mais ductos ficam bloqueados, o leite pode acumular e uma infecção pode se desenvolver. Cadelas que têm imunidade comprometida também correm o risco de desenvolver mastite canina. Esta condição é mais comum em cadelas mais velhas porque seu sistema imunológico é mais suscetível a infecções.

Sintomas da Mastite

Canina Cadelas com mastite canina geralmente apresentam inchaço, vermelhidão, dor e calor na glândula mamária afetada. Além disso, o leite produzido por essa glândula pode ser espesso, manchado de sangue ou conter pus. A cadela também pode estar com febre e parecer letárgica.

Cachorro Hipoalergênico
Cachorro Hipoalergênico

Em casos graves de mastite canina, a glândula afetada pode ser necrosada e, em alguns casos, o tecido mamário pode morrer devido à falta de suprimento sanguíneo. Em tais casos, a cadela pode precisar de cirurgia para remover a glândula e evitar complicações graves.

Como Prevenir a Mastite Canina

A prevenção da mastite canina começa com a escolha de uma dieta saudável e equilibrada para a cadela. Manter a higiene adequada dos mamilos e garantir que a cadela tenha um ambiente limpo para amamentar também pode ajudar a prevenir a mastite.

Se a cadela desenvolver mastite canina, o tratamento precoce é fundamental para evitar complicações graves. Os proprietários de cadelas devem estar cientes dos sinais e sintomas da mastite canina e entrar em contato com um veterinário imediatamente se houver algum sinal de infecção.

Cachorro cansado
Cachorro cansado

Tratamento da Mastite Canina

A mastite canina é uma doença séria e deixá-la sem tratamento pode levar a complicações graves. Felizmente, há várias opções de tratamento disponíveis. O tipo de tratamento que o seu cão receberá dependerá da gravidade da sua condição, mas também do tipo de mastite que ele tem.

Cuidados em casa

Se a mastite do seu cão é leve, ou se ainda está numa fase inicial, o seu veterinário pode recomendar uma abordagem de cuidado em casa. Isto pode envolver a aplicação de compressas quentes na área afetada para ajudar a aliviar a dor e a inflamação. Também é importante permitir que o cão descanse o máximo possível, pois isso ajudará o seu corpo a combater a infecção.

Uso de antibióticos

Se a mastite do seu cão for mais grave, o seu veterinário pode prescrever antibióticos orais ou injetáveis. Estes medicamentos são utilizados para combater a infeção que causa a mastite. É muito importante que o seu cão tome a dose completa do antibiótico prescrito, mesmo que os sintomas melhorem rapidamente.

Cirurgia

Em algumas situações, pode ser necessário realizar uma cirurgia para remover o tecido infectado ou o leite acumulado. Isto é geralmente reservado para casos mais avançados de mastite, quando outros tratamentos não foram eficazes. A cirurgia é realizada sob anestesia geral e é uma opção muito segura e eficaz para tratar a mastite.

Cachorros com autismo
Cachorros com autismo

Independentemente do tipo de tratamento que o seu cão recebe, é importante que ele receba os cuidados necessários para recuperar completamente. Isto inclui permitir que o seu cão descanse e tenha uma dieta equilibrada. É também importante evitar interromper o tratamento prematuramente, pois isso pode fazer com que a mastite volte novamente.

Lidar com a mastite canina pode ser uma jornada difícil, mas com o tratamento adequado, a maioria dos cães pode recuperar completamente. Se tem alguma preocupação com o seu animal de estimação, é importante buscar aconselhamento veterinário o mais rápido possível.

Tipos de Mastite Canina

Tipos de Mastite Canina Existem dois tipos de mastite canina: mastite aguda e mastite crônica. A mastite aguda é uma inflamação súbita e intensa da glândula mamária, causada geralmente pela bactéria Staphylococcus aureus.

Já a mastite crônica apresenta uma inflamação persistente, ocorrendo normalmente com a progressão da mastite aguda. A mastite aguda é caracterizada por rubor, aumento do tamanho e o calor da mama afetada. Além disso, pode ocorrer febre, anorexia, letargia e a proteína do leite pode aumentar. Em casos graves, pode haver a formação de abscessos.

A mastite crônica é menos intensa que a mastite aguda, mas pode afetar várias glândulas mamárias. Ela pode resultar em inflamação, dor contínua e sensibilidade. O leite coletado das mamas afetadas pode ter uma aparência anormal.

Lipoma em Cães
Lipoma em Cães

A mastite crônica pode ser difícil de diagnosticar, pois os sintomas são semelhantes aos da mastite aguda. No entanto, o tratamento para ambas é improrrogável. Recorrer a um médico veterinário ou especialista é fundamental para o sucesso do tratamento.

O acompanhamento profissional é necessário para a identificação dos melhores medicamentos e dosagens para tratar a doença. Além disso, é importante que o animal afetado seja isolado dos demais para evitar o contagio.

Se não tratada de forma adequada, a mastite canina pode levar a sérios problemas, como a necessidade de cirurgia ou até mesmo levar a morte do animal. Por isso, é importante monitorar a saúde do animal, prestando atenção a qualquer sintoma incomum, e levá-lo ao veterinário ao menor sinal de doença.

Lembre-se, a saúde do seu animal é uma responsabilidade primordial.

Conclusão

Seu cão pode estar com mastite canina? Saber as causas, sintomas e tratamento é essencial para manter seu cão feliz e saudável.

Para prevenir a mastite, preste atenção à higiene e forneça cuidados adequados. Se a mastite for diagnosticada, o tratamento precoce é importante para evitar complicações, como a mastite crônica.

O tratamento pode envolver cuidados em casa, uso de antibióticos ou cirurgia. É importante cuidar do seu cão e manter um bom relacionamento com seu veterinário para garantir a saúde do animal de estimação.

Publicar comentário

  • Facebook
  • X (Twitter)
  • LinkedIn
  • More Networks
Copy link