×

A lacuna na rotina de atendimento em odontologia veterinária em animais de produção

A lacuna na rotina de atendimento em odontologia veterinária em animais de produção

“A lacuna na rotina de atendimento em odontologia veterinária em animais de produção: uma preocupação crescente”

A odontologia veterinária é uma especialidade importante na medicina veterinária, mas é uma área que tem sido negligenciada nos cursos de graduação. Esta falta de abordagem resulta em uma lacuna nos conhecimentos dos profissionais de medicina veterinária a respeito da importância da odontologia para a saúde dos animais de produção.

A falta de conhecimento em odontologia veterinária pode levar a complicações graves que poderiam ter sido evitadas com diagnóstico precoce e cuidados odontológicos contínuos.

É crucial que as pessoas responsáveis pelos animais sejam conscientizadas sobre a importância de cuidados odontológicos e levem seus animais para check-ups periódicos em clínicas e hospitais veterinários. Neste artigo, vamos discutir a lacuna na rotina de atendimento em odontologia veterinária em animais de produção e a necessidade de uma abordagem mais preventiva e consciente.

Importância da odontologia veterinária

A odontologia veterinária é uma especialidade da medicina veterinária que muitas vezes é negligenciada. Cursos superiores de medicina veterinária frequentemente contêm poucos tópicos relacionados à odontologia, deixando uma lacuna preocupante no conhecimento dos profissionais da área.

Essa falta de conhecimento reflete diretamente no diagnóstico precoce de afecções orais em animais de produção, já que muitos guardiões só encaminham seus animais para tratamento quando a afecção se encontra em estado avançado.

Falta de abordagem em cursos de medicina veterinária: A odontologia veterinária frequentemente não recebe a devida atenção nos currículos dos cursos de medicina veterinária, resultando em uma deficiência no conhecimento dos profissionais em relação ao diagnóstico e tratamento de afecções orais.

Responsabilidade do médico veterinário no diagnóstico precoce: Como profissionais responsáveis pela saúde e bem-estar dos animais, os médicos veterinários têm a responsabilidade de realizar o diagnóstico precoce de afecções orais em seus pacientes, antes que elas se tornem irreversíveis.

Cuidados odontológicos contínuos para uma vida saudável do animal: A realização de cuidados odontológicos precoces e contínuos ao longo da vida do animal permite que o paciente tenha uma vida saudável e confortável, evitando o surgimento de afecções orais graves.

A prevenção e o tratamento de afecções orais em animais de produção são essenciais para garantir a saúde e o bem-estar desses animais. A falta de conscientização por parte dos guardiões e dos profissionais da área é uma das principais causas da deficiência nas ações preventivas, e destaca a necessidade de um acompanhamento periódico, seja ele semestral ou anual.

Com uma maior participação e conscientização dos guardiões, podemos assegurar uma vida mais saudável e confortável para esses animais.

Prevalência de afecções orais em cães e gatos

A falta de conscientização dos guardiões em relação aos cuidados com a saúde oral de seus animais e a falta de abordagem adequada em cursos de medicina veterinária são os principais fatores que contribuem para a crescente preocupação em relação à lacuna existente na rotina de atendimento em odontologia veterinária em animais de produção.

Segundo estudo utilizando odontogramas clínicos de cães e gatos desenvolvidos pelo Laboratório de Odontologia Comparada da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, a prevalência de afecções orais em animais é alarmante.

Dos pacientes estudados, 100% possuíam halitose, 34,3% tinham mobilidade dentária patológica, 96% apresentavam placa bacteriana, 90,3% apresentavam gengivite, 83,4% apresentavam cálculo dentário, 46,3% tinham exposição de furca dentária e 58,9% apresentavam retração gengival. Esses dados são semelhantes aos encontrados em outros estudos já publicados.

Esses números alarmantes demonstram a necessidade de orientação adequada dos médicos veterinários responsáveis pelos pacientes, a avaliação da cavidade oral dos animais durante qualquer consulta e o conhecimento dos profissionais para a identificação das várias alterações existentes em todo o sistema estomatognático.

As ações preventivas são cruciais para o controle da afecção e para o bem-estar dos animais. Além disso, a importância do acompanhamento odontológico periódico, semestral ou anual é imprescindível para manter uma boa saúde oral e prevenir a evolução das afecções.

É importante destacar que a falta de cuidados odontológicos pode afetar o animal de maneira focal e sistêmica, afetando sua qualidade de vida e bem-estar.

Em conclusão, é alarmante a prevalência de afecções orais em animais. É importante que os médicos veterinários orientem adequadamente os guardiões em relação aos cuidados odontológicos de seus animais e que haja uma abordagem adequada nos cursos de medicina veterinária. O acompanhamento periódico é imprescindível para manter uma boa saúde oral e prevenir a evolução das afecções.

Deficiências na conscientização dos guardiões e profissionais

A falta de orientação adequada dos médicos veterinários é uma das principais deficiências na conscientização dos guardiões em relação à saúde bucal de seus animais de estimação. Muitos tutores não sabem sobre a importância da odontologia veterinária e levam seus animais para consultas veterinárias apenas quando ocorrem problemas sérios de saúde bucal.

Muitos profissionais também não têm conhecimento suficiente sobre o assunto, o que leva a uma baixa detecção precoce das afecções orais. Esses fatos juntos mostram que há uma deficiência nas ações preventivas em relação à saúde oral dos animais.

A falta de avaliação da cavidade oral dos animais durante qualquer consulta veterinária agrava ainda mais esse cenário. Isso pode explicar a alta prevalência de afecções orais como halitose, mobilidade dentária patológica, presença de placa bacteriana, gengivite, presença de cálculo dentário, exposição de furca dentária e retração gengival.

Além disso, essa deficiência na conscientização dos guardiões também pode ser explicada pela falta de conhecimento dos profissionais para a identificação das várias alterações existentes em todo o sistema estomatognático. Ao não compreender a importância de uma saúde bucal adequada, muitos tutores negligenciam a saúde oral de seus animais.

Para reverter essa preocupante lacuna, é necessário que médicos veterinários assumam a responsabilidade de conscientizar os guardiões sobre a importância dos cuidados odontológicos contínuos para uma vida saudável do animal. É importante encorajar os tutores a levar seus animais para acompanhamento periódico, semestral ou anual.

Por meio da conscientização sobre a necessidade de tratamentos preventivos e diagnóstico precoce, as afecções orais podem ser controladas. Médicos veterinários precisam dedicar mais tempo para avaliar a saúde oral dos animais em suas consultas.

Assim, será possível prevenir problemas de saúde bucal em cães e gatos, garantindo que eles possam desfrutar de uma vida saudável e confortável.

Situação na rotina de clínicas e hospitais veterinários

A odontologia veterinária é uma especialidade importante, mas muitas vezes negligenciada na rotina das clínicas e hospitais veterinários. Observa-se que, em grande parte dos casos, os guardiões só encaminham o animal para tratamento quando a afecção oral já está em estágio avançado, o que pode afetar o animal de maneira focal e sistêmica.

Isso evidencia uma falta de conscientização sobre a importância da odontologia veterinária e da necessidade de acompanhamento periódico, semestral ou anual, da saúde bucal do animal. A falta de acompanhamento pode contribuir para a visualização estatística da deficiência nas ações preventivas e incentivar o surgimento de mais afecções orais.

É fundamental que o médico veterinário responsável pelo paciente oriente adequadamente o guardião sobre a importância da odontologia veterinária e da necessidade de acompanhamento, além de identificar as várias alterações existentes no sistema estomatognático durante qualquer consulta.

A conscientização dos profissionais é igualmente crucial. O déficit de conhecimento dos profissionais para a identificação das várias alterações que existem em todo o sistema estomatognático pode contribuir para a falta de ações preventivas. É necessário que haja um aumento na participação e conscientização dos profissionais para identificar precocemente essas alterações.

Em resumo, é importante conscientizar os guardiões e os profissionais sobre a importância da odontologia veterinária e da necessidade de acompanhamento periódico da saúde bucal dos animais. Dessa forma, é possível realizar o controle e o tratamento dessas afecções precocemente, permitindo que os animais tenham uma vida saudável e confortável.

Estudo de caso sobre o atendimento em odontologia veterinária

Um estudo foi realizado para avaliar a situação do atendimento em odontologia veterinária em clínicas e hospitais privados em Salvador através de amostragem por conveniência. Todos os animais passaram por avaliação física geral e odontológica completa com a mesma odontóloga veterinária para coleta dos dados e padronização dos registros utilizando-se odontogramas clínicos de cães e gatos, desenvolvidos pelo Laboratório de Odontologia Comparada da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo.

A inspeção física do animal ocorreu observando o formato da cabeça e a existência de alterações na região dos olhos e cavidade nasal, verificando os linfonodos (parotídeo e submandibular), a face e os lábios do paciente. Na cavidade oral avaliou-se má oclusão, halitose, mucosa, gengivas (gengivite, retração gengival) e dentes (placa bacteriana, cálculo dentário, permanência de dentes decíduos, exposição de furca, mobilidade dentária), entre outros.

Em animais que permitiram maior manipulação, foi realizada avaliação dos palatos, assoalho da boca e língua. Os pacientes estudados foram cães e gatos, machos e fêmeas de diferentes raças.

Os resultados mostraram que a falta de orientação adequada para o guardião pelo médico veterinário responsável pelo paciente, a falta da avaliação da cavidade oral dos animais durante qualquer consulta e o déficit de conhecimento dos profissionais para a identificação das várias alterações existentes em todo o sistema estomatognático permitiram a visualização estatística da deficiência nas ações preventivas.

Comparando os dados obtidos com a literatura especializada, o estudo mostrou certa similaridade nos valores obtidos em relação à placa bacteriana em estudo já publicado. Esses dados ressaltam a importância de um acompanhamento periódico semestral ou anual dos animais, bem como a conscientização dos guardiões e profissionais sobre a importância da odontologia veterinária.

É preocupante que ainda exista uma lacuna na rotina de atendimento em odontologia veterinária, mas essa realidade pode ser mudada com a conscientização e orientação adequada dos médicos veterinários e dos guardiões dos animais de estimação. Consequentemente, isso levará a uma melhor qualidade de vida para esses animais tão importantes para a sociedade atual.

Conclusão

Em conclusão, é de extrema importância que a odontologia veterinária seja abordada de forma mais ampla nos cursos de medicina veterinária, afim de conscientizar e capacitar os profissionais para lidar com afecções orais em animais de produção de maneira preventiva.

É essencial que os guardiões também sejam orientados sobre a importância dos cuidados odontológicos contínuos e do acompanhamento periódico em clínicas veterinárias. Dessa forma, será possível garantir uma vida saudável e confortável para esses animais tão importantes para a nossa sociedade.

Publicar comentário

  • Facebook
  • X (Twitter)
  • LinkedIn
  • More Networks
Copy link